AÇÃO PREVENTIVA: COMO ELA PODE SER APLICADA NOS PLANOS DE SAÚDE?

O conceito de Ação Preventiva corresponde à adoção de medidas para evitar circunstâncias que levem a resultados indesejáveis. Ao contrário do que ocorre em uma ação corretiva, ela não objetiva remediar uma ocorrência. Sua função é impedir que ela chegue a acontecer. Como se pode imaginar, tal prática tem vasta aplicação. Neste artigo, trataremos da sua aplicabilidade em planos de saúde.

Oferecer este último benefício para os colaboradores de uma empresa é algo bastante comum. Serve não só para valorizar os funcionários, como para diferenciar o negócio no mercado. Na prática, é ainda uma forma de evitar que ocorram afastamentos prolongados, já que ajuda a promover o bem-estar dos profissionais. É claro que todas estas vantagens envolveriam um custo.

Apesar disso, o índice de sinistralidades pode ser reduzido com algumas ações simples. Primeiro, deve-se fazer um levantamento que permita avaliar o perfil dos empregados da organização. A presença de doenças crônicas e a forma de utilizar serviços de saúde ajuda a entender as demandas da equipe. Desta forma uma relação mais proveitosa pode ser estabelecida com a operadora.

Tratamos, assim, de um detalhe que faz parte da gestão de saúde em um empreendimento. Contudo, esta é apenas a primeira etapa que devemos observar. Se quisermos de fato reduzir os custos naturais à contratação dos planos, é importante considerar as ações preventivas. Tal estratégia impacta nos beneficiários antes mesmo que busquem o atendimento da operadora.

Inclusive ao determinar o perfil dos colaboradores, como mencionado, o negócio pode investir em um acompanhamento voltado para grupos específicos. Se agrupamentos, como os diabéticos, por exemplo, forem incluídos numa rotina preventiva, os custos potenciais serão reduzidos. No tópico seguinte, explicamos melhor como funciona a aplicação do conceito de que tratamos nos planos de saúde.

COMO APLICAMOS ENTÃO A AÇÃO PREVENTIVA NOS PLANOS DE SAÚDE DE UMA EMPRESA?

Basicamente, o que os gestores devem fazer é elaborar programas voltados para a qualidade de vida e prevenção de enfermidades. Ou seja, devem-se elaborar formas de incentivar hábitos saudáveis entre os funcionários. Afinal, prevenir doenças é uma forma direta de reduzir gastos com as operadoras de saúde. Um objetivo a ser perseguido uma vez que a inflação médica cresce acima do IPCA.

A Ação Preventiva é bastante flexível, podendo variar em função da atividade da empresa. Pode ser que nas funções exercidas os problemas ortopédicos sejam comuns. Neste quesito valeria elaborar atividades voltadas para a educação física. Também podem haver programas de combate à comportamentos de risco.

Um dos exemplos mais comuns é o tabagismo. Pois sabemos que os riscos do cigarro não são poucos. Campanhas de incentivo à alimentação saudável e vacinação, mostram-se como alternativas igualmente benéficas. E todas agem para diminuir casos graves, desonerando as contas da organização. Lembre-se que planos de saúde constituem para negócios de médio e grande porte o segundo maior gasto da folha de pagamento.

Vale, portanto, investir na Ação Preventiva a fim de reduzir sinistralidades e custos com os planos de saúde. Assim, a empresa pode economizar sem que precise reduzir os benefícios oferecidos aos funcionários. Tem alguma dúvida com relação ao direito envolvido nos planos de saúde ou busca serviços de advogados especializados no assunto? Então aproveite para visitar o nosso site.

Fale Conosco